15 anos de boas músicas, altos pedestais e baixa auto-estima.

Nos últimos 15 anos a Teoria Pedestáltica esteve disponível online, ganhando algumas atualizações esporádicas e ainda fazendo algum sentido para creeps perdidos neste mundo triste, escuro e solitário.

O tempo passou, o texto foi ficando velho e alguns conceitos ficaram ultrapassados. Surgiram tantas novas músicas que poderiam estar aqui. Tantos novos artistas reciclando o eterno tema do amor não-correspondido. Tantos termos novos que esta geração de creeps já trata como velhos ("forever alone", "friendzone", etc).

A Teoria fez sentido há muito tempo atrás e talvez sua ideia principal ainda faça, mas o texto em si já não fala mais a nossa língua. Assim, vou escondê-lo e deixar que o efeito mágico da nostalgia faça com que ele pareça melhor do que jamais foi. Pelo menos é o que eu espero.

A ideia da Teoria Pedestáltica vocês já entenderam. Lá na página da Teoria no Facebook ela permanece viva. Passe por lá pra sofrer um pouco, reconhecer semelhantes, ouvir umas músicas tristes e rir da nossa baixa auto-estima, como sempre fizemos.

Obrigado a todos que passaram por aqui e deixaram a Teoria fazer parte de suas vidas. A todos vocês, eu deixo a mensagem final de auto-ajuda que encerrava a última versão da Teoria:

"Se você foi rejeitado muitas vezes em sua vida, então uma rejeição a mais não vai fazer muita diferença. Se você for rejeitado, não conclua automaticamente que a culpa é sua. A outra pessoa pode ter diversos motivos para não fazer o que você quer que ela faça: nenhum deles pode ter algo a ver com você. Talvez a pessoa esteja ocupada ou não se sentindo bem ou sem o menor interesse em passar um tempo com você. Rejeições são parte da vida cotidiana. Não deixe que elas o incomodem. Continue tentando alcançar outros. Continue tentando alcançar outros. Quando você começar a receber respostas positivas, então você estará no caminho certo. É tudo uma questão de números. Conte as respostas positivas e esqueça as rejeições." 
(do encarte do DVD "Meeting People is Easy" do Radiohead, autor desconhecido)


Sejam felizes (ou pelo menos morram tentando).

- Renato Thibes, 28/7/14